(051) 3395-4235

08/10/2016

Distúrbios do sono e declínio cognitivo no norte de Manhattan

Estudo publicado na revista Neurology no mês de outubro analisa o efeito do ronco, da sonolência diurna e da duração do sono sobre a performance neuropsicológica de uma população de 711 voluntários de diferentes etnias.

Conclui que pessoas que roncam com freqüência têm funções executivas (conjunto de competências para administrar nossa vida pessoal e relações sociais) lentas e deficitárias. Identifica o maior comprometimento executivo entre os que têm maior sonolência diurna. 

A combinação de ronco freqüente, sonolência diurna excessiva e duração excessiva do sono predizem declínio cognitivo e de funções executivas.